Quem vem lá?

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Janelas sempre abertas


- “Vive sua vida, faz a sua e não fica é... é....é... reparando nos outros, ta ligado?? Sumeeeeemo!!!”
Sabedoria... Não muito distante dali...Na praia do Sono, o seu Antônio, morando numa casinha de pau a pique, sabe o melhor vento pra jogar a rede no mar, que a água tem que estar fervendo bastante pra coar café no velho coador de pano e que a filha dele engravidou porque trepou. Um dia eu cantava uma música do Raul pro Seu Antônio, ele gostou e pediu pra ouvir outras enquanto escolhia feijão, coisa que, também, ninguém ensinou. Ele se ateve a uma frase que dizia “Pra ser feliz é olhar, as coisas como elas são, sem permitir da gente uma falsa conclusão!” Falou que concordava com o Raul e sobre a importância de ter os pés no chão e de cuidar da minha vida, discordou quando eu disse que às vezes me sentia egoísta quando pensava assim e debochou dizendo que era engraçado como eu não entendia nada. De como eu era capaz de discorrer sobre história, política, mas que não entendia nada sobre egoísmo. Em outras palavras, outro tempo, e num dialeto bem parecido com o de Fabiano, em Vidas Secas, de Graciliano Ramos, ele me dizia: “Vive sua vida, faz a sua e não fica é... é... é... reparando nos outros, tá ligada? Sumeeeemo!!”
Tenho sonhado muito que estou sem roupa, me trocando na frente de obras, tomando banho com mais um monte de gente. Uma vez li num livro de significados de sonhos (nem só de Graciliano Ramos vive uma mulher) que isso reflete o sentimento de exposição. Paguei R$ 140 mangos e coloquei insulfilm no carro. Mas nem com todo dinheiro do mundo eu conseguiria colocar insulfilm nos meus pensamentos, no meu coração. Não sei esconder, fazer joguinho, e nem quero, não entro nessa. Eu queria falar pro Seu Antônio que hoje eu entendo o que ele me dizia, que ouvi a mesma coisa em palavras mais simples e num momento mais oportuno. E que nas minhas orações, desejo bom senso a quem se dedica a observar, confabular e cobiçar a vida que não é sua. Todo mundo tem em si uma coisa que não é infinita, é energia, há um estoque disso. Um dia acaba. Quem desperdiça energia com questões que não são suas, ou mesmo com questões que ficaram no passado, ou estão no futuro, pode se ver escasso de energia para quando essa realmente se fizer necessária.
Na mesma Praia do Sono, conheci um maluco que muito me intrigava, um sujeito jovem, porém cheio de estórias, gostava de conversar com ele. Um dia ele acordou e falou que ia embora, que era bicho solto, e que cairia na BR outra vez. Eu me emocionei porque criei afeição por ele. Comprei bolinho de aipim para sua viagem. Ele chorou e contou que há muito não chorava. Falou pra eu não me enganar com tipos como ele. Que era pura casca, para pouco o que guardar. Achei triste alguém fazer essa idéia de si mesmo, mas ele continuou, disse que eu era o contrário. Muito o que guardar e nenhuma casca. Nunca mais o vi. Queria dizer a ele que continuo pela vida assim. Que não pretendo mudar ainda que isso me custe algum engano e que tenho casca sim. Uma fica no pé, logo abaixo do dedo mindinho, a outra fica no coração, se chama amor, ilumina meu caminho, me protege, e esse sim, é infinito. Sumeeeemo!!!

11 comentários:

Talita disse...

Quando você escreve essas coisas, contando suas histórias, dá uma raiva pensar em como você demora e priva as pessoas dos seus textos! Rsrs Você tem a manha de falar de coisas que, na real, são muito sérias. Mas sempre tem uma groselha no meio pra quebrar o gelo. A casca no pé foi foda. Vc é tipo aqueles filmes que a gente chora e depois ri. Você é um bom filme Má, é isso! Um Jules e Jim em forma de mulherão hahaha. Teu jeito é lindo, não é a toa que é tão admirada por todo mundo, homem mulher criança cachorro, fazer o quê se no meio desse bolo sempre tem uns exus né? Mázinha é amor da cabeça aos pés. Quem olha com maus olhos, não resiste à primeira risada de criança grande.

Próoooximo!! Próximo textoooo!!!

Camilla para os menos íntimos... disse...

Sumeeeemo!!!
acredito que minha energia anda meio escassa por esses tempos, devo me tratar, antes que ela se acabe, é incrível mas para mim é dificil me desapegar do passado mais distante manja!?
mas enfim... a vida continua!

Nações Unidas disse...

Sumeeeemo!!!...sem comentários e sem pé nos freio,rs

Te amo minha doçura, beijocas

Amandla Awetú disse...

Coisa boa, simceramente!

depoisdodoze disse...

Sumeeeemo!!!
Insulfilme no que dá pra por...No que não der foda-se!!!
beijo

Chris Gomes disse...

Coé Marina menina! Como vc está?
Precisamos conversar hein. Eu e o Filipe falamos de vc esses dias, que vc sumiu e tal. Não some não, quero muito que participe do painel dos blogs com esse seu lindo trabalho.

Bjocas e vamos fortalecer a corrente
Chris

Talitah Sampaio disse...

adorei o summmmemmooo...hauahuahuaha
te amo

Andrea disse...

Meu já consegui chorar e rir aqui em menos de 10 minutos.
Po, mexeu comigo!
Muito bom Má!! muito mesmo!
Bjãoo

Desmanche de Celebridades disse...

Esse texto me envolveu.
O passado é algo que sempre me persegue.
As vezes imagino até mesmo o passado daquilo que ainda nem é passado.

Abraços.

Fernando disse...

Pôoooooooorra, vc expõe as ideias maravilhosamente bem.

Paguei um paaaaaaaal meeeeermo meeeermã!!

Bjão Má.

Talita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.