Quem vem lá?

domingo, 10 de maio de 2009

Desengano


Era uma menina que só se enganava. Não era por mal, e ela era sempre a última a perceber. Isso porque não fazia nada sem a obstinação de que era certo, ia de coração, não importa o que fosse. E se enganava. Um dia pegou o metrô, embarcou no Ana Rosa e ficou ali reparando no casal que se beijava com a marmita vazia no colo, na criança de Black no cabelo, na calça xadrez do moço que entrou... Estranhou quando ouviu que a próxima estação era Conceição. Estava do lado errado, queria ir pro Tucuruvi. Desceu afobada e foi pro lado certo. Sorriso amarelo, sabia que sempre se enganava. Mas se aceitava assim e não gostava quando as pessoas diziam que ela era enrolada, perdida. Ela se enganava e fazia isso de coração. Fim de tarde de outono e ela resolveu que ia pra praia, pegou a Anchieta, abriu a janela ao som de Cat Stevens e segurou o chapéu pra não voar. Mas as placas indicavam o Piraporinha e logo ela viu que se enganou de novo. Voltou e foi pro lado certo falando todos os palavrões que sabia e inventando mais alguns, mas depois riu porque ela era assim mesmo. E de manhã, o cinza predominou e não dava praia. Ela resolveu tomar um pingado, como fazia todas as manhãs. E estava feliz, porque até então era uma pessoa no meio da cozinha, depois de uma noite muito bem dormida, ainda de pijama, uma revista de moda na mão e um pingado na outra. Ela ficava feliz com essas coisas. Mas bastou o primeiro gole para o sal inundar sua boca e ela perceber que confundiu os potes e salgou o matinal. A outra metade do gole saiu pelo nariz. E ela seguia assim, feliz antes do engano. Enquanto acreditava estar no caminho certo, que seria agradável o sabor das coisas, estava bem e era isso que importava. Ela não gostava das críticas e preferia acreditar no seu coração. Mesmo quando se enganava. E como se enganava.... A menina.
ps, na foto: cena típica. Parada no trânsito, perdida e sem gasolina.

4 comentários:

MARCELO MENDEZ disse...

hahahahaa... Muito bom, muito bom. Pelo prisma literário, ótimo. Tem a coisa do dia-a-dia dos cronistas feras que veem a possibilidade de um bom texto nas coisas que olhos comuns parecem inóquas.

Vendo do ponto de vista humano, me impresiona muito uma pessoa que consegue ser feliz de maneira simples, com o simples fato de saber, rir de si mesma. Vc ri de si mesma e eu adoro ler o que tu faz de... Si mesma

beijo e te adoro

Talita disse...

Que texto fofo, Má. É linda amneira que vc encontra pra falar de coisas que são suas. E tem umas frases muito fodas no meio disso tudo, tipo "feliz antes do engano". Dá frio na barriga.
Linda. Goma, perde placa. rsrs
Beijocas

Nações Unidas disse...

Adoreiiiiiiii!!!
beijos e te amo

Talitah Sampaio disse...

saudade do seu pingado

te amo bonitinhaaaaaa