Quem vem lá?

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Pequenos porém sinceros

- Então Má, o esquema é sério. É um hospital-escola. Você só paga a prótese.
- Sério? (olho pra baixo, analiso). Mas será? Tenho um pouco de cagaço...
Entro no consultório. Lá dentro, o médico e o residente. Começo explicar que estou vendo a possibilidade de aumentar meus seios. Os dois me incentivam horrores, dizem que vou ficar linda. Sento na maca e tiro a blusa, o sutiã com bojo. Os dois olham, inclinam a cabeça para contemplar de outro ângulo, e eu ali esperando o veredicto. Um aperta. O outro não ia ficar de fora né, apertou também. (Piadinhas esdrúxulas de feira tipo “apalpou vai ter que levar” pairam em minha cabeça, mas me contenho). Coçam o queixo... Hum... Deixe-me ver de novo...
- Pois bem Marina, seu seio é juvenil. Sugiro que faça um implante de 300 ml.
- Caralho doutor, pra quê tudo isso? Vai parecer que tô segurando ar o tempo inteiro!
- Aqui aparece um monte de baixinha querendo, você tem altura e não quer colocar?
Vou embora com uma pilha de pedidos de exames e confusa. Chego em casa e me olho no espelho de novo... Qual o problema? Sim, realmente deve ser incrível colocar uma blusa decotada e ter o que mostrar, aposentar meus sutiãs com bojo e aditivos “junta tudo”, sair por aí ostentando um par de peitões... Imagine só, correr na areia, cena de filme, meus peitões balangando pra lá e pra cá, eu sorrindo contra o vento... Mas enfim, na vida real eu não sou assim e meus atributos são outros. Por outro lado posso colocar uma blusinha tomara que caia, tudo fica delicado, sem contar que passo super bem nas frestas.
Aí me pego pensando que tenho coisas muito mais importantes para me preocupar, coisas muito mais essenciais a serem aprimoradas em mim. É verdade, o seio cabe na palma da mão, mas é isso, e mais um monte de coisas que me faz ser quem eu sou. E eu não quero ser diferente, gosto assim mesmo: uma perna em X, um dente pra frente e um vasinho que apareceu na batata da minha perna. Foda-se. Essa é a minha cara. Eu é que não vou deitar numa mesa e dizer “Aí doutor, deixe minha perereca com a cara da Angelina Jolie”. É impressionante a capacidade da gente não se aceitar, achar que ficaria melhor com um peito tal, a boca tal. Não precisa ter cabelo liso, tenha o que pensar; Não precisa ter os dentes perfeitos, apenas tenha bom humor e sorria de verdade; Pra quê ficar horas malhando o tríceps para dar tchau sem balançar, use os braços para um abraço forte e verdadeiro. Pernas bem torneadas? Beba e se divirta muito num bar e depois vá ao banheiro e faça xixi sem encostar no vaso!
Não voltei mais ao consultório. Sim eu tenho os seios pequenos. O que não tem nada a ver com eu não ter peito.

9 comentários:

Nanda Leone disse...

Vou ser repetitiva? Sei lá! Mas dane-se!
Ma, é incrível como você transfoma todo e qualquer assunto em um conto, em algo divertido e gostoso de se ler. E o melhor: sempre vem com conclusões verdadeiras e que dizem muito no final de seus textos.
Você transforma tudo. Tudo em algo muito bom, em algo bem melhor.
Aí você vem me falar das minhas modestas meia dúzias de linhas rabiscadas? Pelo amor! Aquilo lá é uma tentativa - frustrada - de dizer o que penso. Mas não me canso de tentar. Aliás, gosto muito! =)
Obrigada pelo carinho.
Bjo enorme da fã de seus textos!

Chewing disse...

Genial!

Fernando Segredo disse...

na verdade, o genial acima era o meu!

MARCELO MENDEZ disse...

hhahahaa... Vc tem uma verve cômica que eu só encontro em grandes cronistas. Cronistas do dia a dia, da fila do pão, de quem não se furta ao ótimo exercicio de olhar para o lado...

beijão linda

Ana Mine disse...

Adorei esse post.
Concordo plenamente.
Sou uma pessoa desligada na parte estética, confesso que eu tenho a auto estima super baixa.

Mas quando penso o que eu mudaria ... não consigo pensar em nada tão radical...
parece super contraditório o que eu estou escrevendo...

Mas mais do que a estética me preocupo com a alma...
Quero ser uma pessoa melhor de dentro pra fora.

Bjo
Ana

Bagunceiro disse...

hauahuah...o que dizer? Eu penso da seguinte maneira: se te faz parecer menos ou se você tem encanação com isso faça, mas se você gosta do jeito que estão não faça.

Tava com saudades das suas histórias reais do dia-a-dia.

Te adoro....bjos

Mariana disse...

Nossa, me identifiquei, principalmente, com o final do seu texto... hahaha

Ah, é a Mari do Guia da Semana, tá?! Vou colocar seu blog na lista do meu. Muito legais seus textos, aliás!

Beijos

Alessandra Cifali disse...

Feliz Ano Novo, Ma !
Adorei seu blog :)

Anderson disse...

Muito bom sua forma de encarar a vida heim!

=D

adorei seu blog Ma...beijo querida.