Quem vem lá?

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Strogonoff de salame



- Não tá conseguindo dormir?
- Não... Mas ainda prefiro esse momento a quando acordo, e fico na dúvida sobre minha realidade, tenho que pensar que sim, que tudo isso que me afugenta o sono realmente aconteceu... e aí contabilizo por quantos dias ainda acordarei tendo esse como o meu primeiro pensamento.
- Transmute em poesia. Pense como se fosse poesia, ficção. Leia mais Bukowski, Nelson Rodrigues, Henry Miller... Eles lhe darão ferramentas para atingir a baixeza de que necessita.
- Strogonoff de salame.
- Que nojo.
- É! Algumas coisas são maravilhosas, porém, incompatíveis! E não há solução. Eu adoro salame, adoro strogonoff. Agora imagina um strogonoff de salame, que coisa mais esquisita, não rola. O caminho do salame é a cerveja e o limão, o do strgonoff é o filé mignon!
- Quase poético.
-Quase tudo é sempre quase. Quase perfeito, quase feliz, eu quase gozei. Quase se escapa. Não fosse aquele segundo, não fosse minha audição perfeita, aquelas palavras... Estaria quase tudo em paz.
- Não estaria. Não tem saída. Deu-se por satisfeita em escapar de uma batida numa esquina, mas na próxima uma muito mais certeira a aguarda e lançará a sua cara de encontro ao meio fio. Não tem saída. Todos os caminhos levarão à mesma coisa. A mesma colisão, o mesmo fim.
- Eu sei e me sinto patética por insistir.
- Foi uma escolha.
- Patética.
- Deve ser respeitada.
- Lamentada.
- Respeitada. Não se culpe.
- Sabe por quantos momentos nos últimos tempos eu desejei a invisibilidade?
- Muitos.
- Esse é um. Sinto como nunca minha mortalidade.
- Você vai ter um bom ano, as mudanças que não soube operar em sua própria vida tomaram vontade própria e aconteceram com uma urgência dolorida, mas que passa e você sabe disso.
- Tenho pensado muitas coisas boas pras pessoas que eu gosto. Todas. E às vezes tenho a impressão que todo mundo tem um caminho e só eu que não.
- Você está livre para tomar o caminho que quiser.
- É mais fácil não ter caminho.
- Tô contigo, acredite que será um crescimento incalculável. Procure o silêncio.
- Você pode me dar licença um pouquinho então?


Apaga a luz.
Entra a música na voz de Elis Regina “ Se eu quiser falar com Deus/ Tenho que ficar a sós, tenho que apagar a luz/ Tenho que calar a voz, tenho que encontrar a paz/ Tenho que folgar os nós, dos sapatos, da gravata, dos desejos, dos receios/ Tenho que esquecer a data, tenho que perder a conta/ Tenho que ter mãos vazias, ter a alma e o corpo nus.Se eu quiser falar com Deus/ Tenho que aceitar a dor/ Tenho que comer o pão que o diabo amassou/ Tenho que virar um cão, tenho que lamber o chão dos palácios, dos castelos suntuosos dos meus sonhos/ Tenho que me ver tristonho/ Tenho que me achar medonho/ E apesar do mal tamanho, alegrar meu coração.Se eu quiser falar com Deus/ Tenho que me aventurar, tenho que subir aos céus, sem cordas prá segurar/ Tenho que dizer adeus, dar as contas, caminhar/ Decidido pela estrada, que ao findar não vai dar em nada, nada, nada, nada, nada, do que eu pensava encontrar.

3 comentários:

Talita disse...

Má, o jeito que você lida com seus sentimentos, sempre tão intensos, transformando eles nesses textos tão envolventes, me faz te admirar cada vez mais. Queria passar um só dia dentro dessa sua cabecinha inteligente para descobrir como você processa tudo isso e transforma em coisas tão bacanas que acrescentam na vida de todo mundo.
Você é linda, amada, e eu só agradeço por vc existir.
O texto tá demais, cada pessoa vai se identificar de um jeito.
Te amo Má, muito, vc é uma mulher realmente incrível.
Beijocas, Tá.

Blog do Caçula disse...

Olá, Marina...

Não conhecia sua página... Li e resolvi reler ao som de "Se eu quiser falar com deus", com a voz de Elis... muito bom... você descer a página e ler mais...

Beijo,

Gustavo... ops, quer dizer, Luiz... rs...

MARCELO MENDEZ disse...

hummmmm... Entãooo... Eui me surpreendi com esa cronica aqui e com a forma como vc esgarniça tuas chagas. Ta lindo mas esse comento com vc depois e pessolamente, ta bão amore...


beijooo