Quem vem lá?

sábado, 20 de setembro de 2008

Carta da Insônia

Noite fria passando na minha janela. Já não me sinto só defronte dela, me chega doce o gosto da madrugada. Mais doce ainda é saber que a essa hora deves estar dormindo, leve e puro, depois de mais um dia que a vida te deu.
Mas é doçura que sabe a sal no mais azul do peito onde o amor sofre a pena malferida de ser tão grande e tão imperfeito.
Pois aqui está a minha vida. Pronta para ser usada. Vida que não se guarda nem se esquiva, assustada. Vida sempre a serviço da vida. Para servir ao que vale a pena e o preço do amor.
Ainda que o gesto me doa, não encolho a mão: avanço levando comigo um ramo de sol. Mesmo sozinha dentro da noite mais fria, a vida que vai comigo é fogo: está sempre acesa.
Estou no centro do rio, estou no meio da praça. Piso firme no meu chão, sei que estou no meu lugar, como panela no fogo e a estrela na escuridão.
O que passou não conta? Indagariam bocas desprovidas...Não deixa de valer nunca. O que passou ensina com suas pedras e seu mel. Por isso é que vou assim no meu caminho. Publicamente andando.
Minha casa encantada, onde moro e mora em mim, te quero assim verdadeiro. Cheirando a livros e fogueira. Vida, toalha limpa, vida posta na mesa. Há que merecê-la.
Reparto tudo contigo hoje e sempre, porque chegou num caminho longo e luminoso mas que também se faz áspero às vezes, onde nossas origens se abraçaram e certa vez não conseguiram dissolver em paz nossas diferenças. Somos seres humanos, vivemos sob esta condição não é meu querido e doce menino? Deixamo-nos levar por um momento por aquilo que desune o mundo dos homens que foram feitos para cantar juntos, porque só juntos saberão chegar para a festa de amor que se prepara.
É tempo de cuidados... cada um no seu lugar, na sua vez, não descuidar na espreita do destino que não dorme jamais e é cheio de olhos. E derramar a luz... no instante certo. É uma espera que dói um pouco...sim. Mas ninguém será sozinho nunca mais. Sempre estarei contigo e é quando sonho que te guardo e durmo à luz do seu lampião em sépia.
Você pra mim é amor. Da cabeça aos pés. Grandes coisas simples aprendi contigo, com teu jeito, teu prumo, tua crença e com a linhas da minha mão. Com você aprendi que o amor se reparte, mas sobretudo acrescenta, e a cada instante aprendo mais com teu jeito de andar pela vida, como se caminhasse de mãos dadas com o ar, com teu gosto, com a luz do teu sorriso, tuas delicadezas secretas e a alegria do teu afeto maravilhado.
Posso ouvir nesse instante sua voz radiosa que sai da boca inesperada como um arco-íris partindo ao meio e unindo os extremos da vida, e mostrando a verdade como uma fruta aberta... Deixo que isso passe por mim.

6 comentários:

MARCELO MENDEZ disse...

Esstilão europeu, lindo! Mari... Eu te pentelharei pra vc ser nossa colaboradora!! haha

beijo

André disse...

Caraca Má!!!
Você esta arrebentando mesmo heim...JESUIS MARIA JOSÉ!!!
E a vida é isto ai mesmo né..Esta ai, e pronta pra ser usada...E graças a Deus a minha esta sendo usada de uma forma tão gostoso, calma e ao mesmo tempo intensa...É o tal do amor que chega pra iluminar ainda mais o que eu pensava já estar cheio de luz...
Beijos bunita!!!

Bagunceiro disse...

Lareira....eu me acostumei a dormir com esse barulho maravilhoso e a luminosidade bem fraquinha no quarto...e um abraço de conchinha para vc se sentir a pessoa mais feliz do mundo ali deitado e deixando os sonhos te levar....bjaum...te adoro!!!

Aline Alves disse...

Ai, que lindo!
Essa madrugada inspira tanto, não é?
O silêncio, o escuro, uma lâmpada fraquinha acesa. Adoro!
Mas me revela cada coisa, que eu me impressiono comigo mesma.

Gosto tanto de vir aqui...
Beijos, lindinha!

Nanda Leone disse...

Você diz tanta coisa em tão pouco espaço que fico até com receio de me arriscar a comentar...
Incrível, Ma!

E olha como eu sou uma cabeça de pudim: eu já tinha entrado no seu blog, sim! hahaha... Mas, você sabe... a gente é MUITO cyber e tem uma gigante facilidade de ligar uma coisa a outra! hahaha

Bjos e parabéns por conseguir transpor de uma forma tão linda e leve o que você sente!

Aline Ahmad disse...

Marina, esse texto está tão lindo, tão perfeito, que tira o ar...
(pausa para respiração)
Parabéns!

Beijos de luz,

Aline***